CENTRO DE EXCELÊNCIA INTERNATION CENTER OS EXCELLENCE
Tel: (21) 2295-5731
Rua Paulo Barreto, 73
Botafogo - RJ


Calcule seu IMC

Saiba seu índice de massa corporal e, de acordo com o resultado, quais providências ideais deverá tomar.
kg
cm
Ação social Obesidade sem marcas - Cirurgia menos invasiva
Compartilhar esta página:

A Obesidade > Dúvidas

Tire suas dúvidas

1 - O que é a Cirurgia Bariátrica?
É um procedimento cirúrgico que tem por objetivo proporcionar e manter uma perda importante de peso, ou seja, vislumbra a cura da obesidade mórbida e suas conseqüências.

2 - Quando se opta pelo tratamento cirúrgico?
Normalmente os pacientes que são submetidos à Cirurgia Bariátrica já passaram por vários tipos de dieta ou por outros meios que objetivam a perda de peso. Contudo, quando se alcançam índices de peso que definem obesidade mórbida, com ou sem comorbidades, a indicação cirúrgica torna-se incontestável no sentido de se minimizar os riscos de mortalidade precoce.

3 - O Balão intra-gástrico é um procedimento cirúrgico?
Não. Trata-se de um procedimento pouco invasivo, onde um balão, normalmente preenchido por um líquido, é posicionado dentro do estômago através de uma endoscopia com sedação.

4 - Qual a diferença entre o Balão e a Cirurgia Bariátrica?
O Balão apresenta-se como um tratamento temporário, mas eficiente, para indivíduos com sobrepeso (25-29 kg/m2) ou obesidade não severa (30-35 kg/m2). Também pode ser utilizado nos obesos mórbidos e superobesos (≥50 kg/m2) como uma forma de melhor prepará-los para um procedimento definitivo (Cirurgia Bariátrica).

5 - Mas o Balão é colocado em um centro cirúrgico?
Não necessariamente. É um procedimento que necessita de sedação e uma estrutura que normalmente é encontrada nos centros onde são realizados os procedimentos de endoscopia digestiva.

6 - Ficarei com o Balão por quanto tempo?
Normalmente se permanece com o Balão por um período de seis meses.

7 - Como é escolhida a técnica que vou ser submetido?
Existem varias técnicas, cada uma tem uma vantagem específica e deve ser aplicada de acordo com as características individuais de cada paciente. A escolha da técnica pode variar de acordo com o perfil nutricional e psicológico e é dependente do resultado dos exames. Levamos em consideração estes aspectos e decidimos a técnica após uma avaliação individual, ou seja, acreditamos que tratamos indivíduos com características próprias. Não aplicamos uma técnica igual para todo mundo, fugimos dessa "industrialização" da cirurgia bariátrica e acreditamos que os pacientes devem ser tratados de forma única e personalizada.

8 - Por que optar pela cirurgia aberta ou videolaparoscópica?
A cirurgia realizada da forma aberta (convencional) ou por videolaparoscopia é exatamente a mesma, o que muda é o acesso utilizado - grandes incisões (na aberta) ou mini-incisões (na laparoscópica). Obviamente, quando se opta pela forma menos invasiva, a dor pós-operatória e as complicações com a própria ferida cirúrgica são menores, o tempo de internação e de recuperação também é menor, fazendo da cirurgia por videolaparoscopia a mais adequada e devendo ser indicada sempre que possível.

9 - É uma cirurgia dolorosa?
As cirurgias realizadas da maneira convencional (aberta), diferentemente daquelas realizadas por videolaparoscopia, tendem a proporcionar mais dor no período pós-operatório devido à extensão da incisão cirúrgica, mas é um fato totalmente controlável uma vez que existem no mercado poderosos esquemas de analgesia pós-operatória, seja forma endovenosa ou por via oral.

10 - É possível a realização de alguma outra cirurgia simultaneamente?
Sim. Desde que isso não acrescente um aumento na morbidade da cirurgia bariátrica. Procedimentos ditos limpos (cirurgias plásticas principalmente) devem ser evitados no mesmo ato, uma vez que os procedimentos bariátricos são potencialmente contaminados.

11 - Qual o tamanho da cicatriz?
No procedimento convencional, é realizada uma incisão vertical acima da cicatriz umbilical, cuja extensão varia de acordo com o cirurgião e o paciente, em media 15 cm. Já no procedimento videolaparoscópico, são realizadas cinco a sete pequenas incisões estratégicas de 10 a 12 mm.

12 - Devo praticar alguma atividade física antes de fazer a Cirurgia Bariátrica?
Sim. Entretanto é recomendado levar em consideração o tipo de cirurgia a ser realizado, seu IMC atual e possíveis restrições médicas. Há casos em que a cirurgia só pode ser realizada após a perda de alguns quilos. Não havendo restrições importantes, recomendamos atividades na água, como hidroginástica e natação, já que a sobrecarga é menor, diminuindo o risco de lesões. Caminhadas também são bem-vindas, cada um no seu limite.

13 - Tenho diabete, colesterol aumentado e pressão alta, posso operar?
Pode sim, desde que estas doenças estejam controladas. Alguns cuidados devem ser tomados com relação ao uso dos medicamentos antes e depois da cirurgia.

14 - Fiz endoscopia e deu que tenho H-pilory, posso operar?
Pode sim, sem problemas. O Helicobacter pilory é uma bactéria muito comum e está presente em 99% da população, sendo facilmente tratado com uso de antibióticos em um período máximo de sete dias. Costumamos tratar no período entre a marcação e a cirurgia propriamente dita. Deve ser tratado para evitar a recidiva da gastrite.

15 - O que é muito importante observar na fase de preparo para a cirurgia?
Alguns aspectos merecem atenção especial antes da cirurgia para que complicações sejam evitadas:

- Continue tomando as medicações prescritas pelo seu médico; é muito importante que as doenças associadas à obesidade estejam sob controle (diabetes, hipertensão, hipotiroidismo, etc.).

- Observe se você apresenta febre, dor de garganta, tosse com secreção, dor ao urinar, ou qualquer outro sinal de infecção. Comunique o seu médico caso ocorram estas alterações.

- Você não pode operar grávida ou amamentando. Portanto, tenha controle da data de sua última menstruação, comunique a equipe caso haja suspeita de gravidez e utilize métodos anticoncepcionais seguros sempre orientados pelo médico. Não há problema algum se estiver menstruada no dia da cirurgia. Pare de fumar dois meses antes da cirurgia. O cigarro só traz prejuízos para a sua saúde. Além de todos os riscos, a nicotina prejudica a cicatrização da pele, o que pode levar à infecção.

16 - Por que preciso passar com um psicólogo antes da cirurgia de obesidade?
A Psicologia tem foco preventivo e educativo, bem como de acompanhamento dos processos individuais, isto é, de como cada um vive sua experiência de emagrecimento, que se dá de forma rápida e muitas vezes surpreendente. Junto com o novo corpo, as relações familiares e sociais se transformam, porque a relação do indivíduo consigo próprio também muda. É difícil imaginar que ao emagrecer algo possa mudar para pior, mas novos fatores de stress surgem. Casos como ciúmes do(da) parceiro, rivalidades no ambiente de trabalho, desejo de liberdade que antes não existia devido à condição de isolamento que a própria obesidade trazia, inveja de amigas(os) que gostariam de estar na mesma situação de perda de peso, etc. Outro fator é a discordância de tempo entre cirurgia e transformação psíquica: se a cirurgia demora em média de 90 minutos a transformação do estilo de vida de uma pessoa leva anos. Seu jeito de se alimentar, o engajamento em exercícios físicos, adaptação a novas rotinas de sono, novo ritmo alimentar, adaptação ao hábito de ingerir suplementos alimentares. De modo similar aos ex-fumantes que ficam com horror ao cheiro de cigarro, não é raro que indivíduos que foram obesos mórbidos fiquem ansiosos com restaurantes do tipo rodízio, em que todos comem muito e/ou rápido de mais. Psicólogos são profissionais orientadores e facilitadores do processo de transformação, no caso da cirurgia bariátrica.

17 - Para que serve o preparo psicológico para a cirurgia?
O preparo psicológico envolve o levantamento de dados históricos pessoais e dados da história familiar permitindo que a pessoa candidata à cirurgia bariátrica possa perceber o que é pertinente ao fator obesidade e o que está sendo projetado na obesidade e na verdade não lhe pertence. Muitas vezes existem expectativas depositadas no emagrecimento que não vão ser cumpridas com a perda de peso, pois dizem respeito ao tratamento de um quadro depressivo, ansioso, ou mesmo de um processo de imaturidade diante da vida. Frustrações com os resultados cirúrgicos devido às expectativas mal colocadas tendem a colocar na cirurgia culpabilidades que não lhe cabem. Não é raro ouvir um comentário de que alguém deprimiu com a cirurgia bariátrica quando a depressão já estava na entrevista pré-operatória. O paciente deve saber que cirurgia para perda de peso não trata Pânico, Depressão ou Transtorno Bipolar. Esses transtornos devem receber tratamento paralelo à cirurgia.

18 - Preciso fazer acompanhamento psicológico após a cirurgia?
Acompanhamento psicoterapêutico é saudável nos dias estressantes de hoje. È uma prática de higiene mental. Mas só funciona se há demanda do próprio indivíduo. Não podemos dizer que uma cirurgia bariátrica só funcionará se a pessoa se submeter a uma psicoterapia após o procedimento cirúrgico. O ser humano é altamente adaptável e seu psiquismo é munido da capacidade de adaptar-se à sua nova realidade. Mas se o stress for intenso demais para sua estrutura, poderá adoecer. Daí a necessidade de um profissional psicólogo competente na equipe, bem como de um psiquiatra que possa prescrever psicofármacos, se necessário.

19 - Preciso comunicar a minha família sobre a cirurgia?
Este é um fator fundamental, dados os riscos implicados no procedimento e todos os cuidados pós-operatórios nele implicados. Em caso de insistência no sigilo, a cirurgia deve ser contra-indiciada.

20 - E se eu ficar ansioso antes da cirurgia?
Um certo grau de ansiedade é considerado normal. Muito mais preocupante é o indivíduo que não se conecta com a realidade de sua experiência. Alguns medicamentos podem ser usados para diminuir o grau de ansiedade pré-cirúrgica e não prejudicam cicatrização. Tanto anestesistas, cirurgiões como psiquiatras têm conhecimento dessa área.

21 - Quais as complicações psicológicas mais freqüentes depois da cirurgia?
Nos primeiros 15 dias a ansiedade é pertinente, dado ao fato de que o emagrecimento almejado ainda não ocorreu, ocorre a privação alimentar principalmente de açúcares que têm papel fisiológico importante sobre o humor e há certa limitação física. Nos próximos 15 dias, permanece a privação da mastigação, que têm importante função na descarga da agressividade (morder, cravar os dentes é uma descarga motora importante para seres providos de dentes). Dependendo do perfil psíquico de cada um, pode haver incremento do comportamento explosivo e humor irritativo ou do isolamento depressivo. Se houver evolução para um quadro psicopatológico com os critérios avaliativos essenciais, há necessidade de tratamento.

22 - A obesidade é um problema psicológico?
Não. A obesidade é uma doença que vem acompanhada de uma série de complicações da saúde global do indivíduo ou de outras doenças. É comum que o indivíduo apresente pressão arterial alta, dores cervicais, bem como ansiedade, agitação psíquica ou depressão. A compreensão dos estados do humor é de co-morbidade, da mesma forma como se compreende as demais manifestações da saúde do obeso. Deste modo, merecem atenção e tratamento.

23 - Vou operar, há algum preparo na véspera?
Na véspera não pode ser ingerido bebida alcoólica, alimentos sólidos, aspirina, ginko biloba, antiinflamatórios, líquidos gasosos e nem fazer uso de cigarro. A dieta deve ser à base de líquidos como suco, água, sopa isotônicos e água de coco. As sopas devem ser coadas e não pode ter pedaços de alimentos. Deve-se evitar o leite. Os remédios de uso crônico devem ser tomados normalmente. O jejum alimentar deve ser iniciado pelo menos doze horas antes da cirurgia, sendo proibida a ingestão de qualquer liquido neste período. O paciente deve tomar pelo menos dois banhos com SOAPEX liquido, dormir cedo, checar os documentos necessários e os exames que devem ser levados no dia seguinte.

24 - Como posso cuidar da minha pele antes da cirurgia?
O cuidado pré operatório é fundamental para uma boa cicatrização e uma boa evolução da ferida operatória.Evite fazer depilações com antecedência, pois podem produzir micro ferimentos e abre os folículos do pêlo, o que facilita a entrada de microorganismos. Se houver necessidade, a remoção dos pêlos será feita no hospital, pelo pessoal de enfermagem, obedecendo a normas que previnem infecção.

Observe e comunique qualquer lesão de pele (calor local, vermelhidão, presença de secreção, furunculose, etc.)

É muito importante o banho de chuveiro com sabonete anti-séptico na manhã da cirurgia. Não use cremes ou pomadas neste dia.

Não vá para o centro cirúrgico com a cabeça molhada.

Mantenha as unhas curtas e sem esmaltes

25 - Qual o tempo de duração de uma cirurgia?
Isso é muito variável, depende da técnica usada, do peso do paciente, da experiência da equipe, da anatomia do paciente e etc. Em média, nossas cirurgias demoram 1 hora. O tempo de permanência no Centro Cirúrgico é de aproximadamente 3 horas.

26 - E se eu acordar com tubo de respiração ainda na garganta?
Isso realmente pode acontecer, é um evento raro, mas possível. Normalmente conseguimos prever este acontecimento e nos preparamos junto com o paciente para isso. Eventos inesperados podem acontecer durante a anestesia e durante a cirurgia que nos obriguem a mandar o paciente entubado para o CTI, sempre para preservar a segurança do paciente.

27 - Por que preciso ficar no CTI?
As unidades fechadas conhecidas como UTIs ou CTIs disponibilizam um melhor cuidado no pós-operatório imediato. Podemos nessa unidade monitorar melhor a pressão arterial, glicemias sanguíneas, alterações respiratórias e possíveis sangramentos. Acreditamos que adotando esse cuidado contribuímos para a segurança do paciente.

28 - Para que serve a meia usada na cirurgia?
A meia melhora o retorno venoso e assim evita a formação de coágulos dentro dos vasos, doença que é conhecida como trombose venosa. Esta doença é um evento agudo que pode levar a um quadro de embolia pulmonar ou trombo dentro da artéria pulmonar.

29 - É necessário o uso da cinta?
Indicamos a cinta nos casos de cirurgia aberta. A cinta evita o aparecimento de hérnia na incisão e deve ser usada por dois meses no mínimo.

30 - O que é o dreno e para que serve?
O dreno é um tubo de silicone de 1 cm de largura e que é colocado em locais estratégicos da cavidade abdominal afim de monitorar possíveis sangramentos, infecções ou vazamentos da linha de grampo.

31 - O que é fístula?
É a abertura interna da linha de grampeamento com vazamento do conteúdo intestinal ou gástrico na cavidade abdominal. Ocorre em 1% dos casos e depende da cicatrização individual de cada paciente. Na maioria das vezes ocorre entre o 7o e 10o dia de pós-operatório, podendo ocorrer antes em alguns casos raros. Após este período já houve a cicatrização dos tecidos e o aparecimento da fistula nesta fase é praticamente impossível. Com a presença dos drenos fica mais fácil a identificação precoce da fistula e, portanto também o seu tratamento.

32 - Em quanto tempo poderei retornar ao trabalho e às atividades normais?
Com o advento da cirurgia videolaparoscópica o quesito recuperação rápida tornou-se uma realidade. Os pacientes submetidos à cirurgia bariátrica e que apresentam boa evolução pós-operatória poderão retornar ao trabalho e às suas atividades normais dentro de dez a quinze dias.

33 - Qual é o tempo médio de recuperação?
O paciente estará apto a realizar atividades leves em aproximadamente 7 a 10 dias. Já para atividades que exijam esforços físicos moderados é razoável aguardar um período de pelo menos 30 dias.

34 - Meu estômago foi reduzido pra qual tamanho?
As cirurgias que "reduzem" o estômago são chamadas de cirurgias restritivas, tem o objetivo de induzir a sensação de saciedade, pois ao diminuir o tamanho do estômago caberá menos comida e ele enche mais rapidamente. A sensação de saciedade se dá pela distensão do estômago. As cirurgias mais realizadas em nossa Clinica são o Sleeve gástrico que deixa o estômago com 30% de sua capacidade e o Bypass tipo Capela que deixa o estomago com 10% de sua capacidade.

35 - Como será o pós-operatório?
Nas operações realizadas por videolaparoscopia o período pós-operatório costuma ser tranqüilo, com pequeno desconforto nos locais das incisões. É muito importante salientar que a dieta (líquidos) adotada nesse período deve ser seguida rigorosamente.

36 - Que tipo de cuidado preciso ter no pós-operatório imediato?
O principal cuidado é seguir as orientações da equipe médica, observando sinais anormais como dor, febre, falta de ar súbita e saída de secreções pela ferida ou pelos drenos com cheiro e aspecto diferentes do normal (Durante a internação mostraremos o aspecto normal). É muito importante seguir a orientação da nutricionista, respeitando o volume e a qualidade da alimentação. Algumas alterações comportamentais também podem ser notadas nesse período, por isso os familiares devem ficar atentos e entrar em contato com a psicóloga responsável em caso de dúvida. Em caso de dúvida, entre em contato com nossa equipe.

37 - Como cuidar da ferida operatória em casa?
Mesmo estimulando-se o auto cuidado e a independência, é muito bom que você tenha um acompanhante para prestar-lhe ajuda principalmente na realização dos seus curativos que devem ser diários. O ideal é que você esteja confortavelmente deitado e o acompanhante deve então:

» Lavar bem as mãos antes e depois de manipular a ferida operatória.

» Calçar luvas de procedimento.

» Limpar a incisão com gazes embebidas em álcool a 70º.

» Comprimir em volta da incisão, fazendo expressão, com a finalidade de proporcionar a saída de secreção amarelada e sanguinolenta, comum nas cirurgias abertas

» Limpar novamente com gazes embebidas em álcool e enxugar com gazes secas.

» Cobrir a ferida operatória com gaze estéril e esparadrapo micropore.

» Qualquer alteração da ferida deve ser comunicada (febre, inflamação, presença de secreção escura, espessa e fétida, abertura de pontos).

» Evitar o contato direto com animais

» O banho é normal, de chuveiro, e a ferida operatória pode ser lavada com sabonete neutro (de preferência líquido) e utilizar gaze para enxugá-la.

» As cirurgias realizadas por vídeolaparoscopia necessitam apenas de:

» Lavagem diária com sabonete neutro nas pequenas incisões.

» Secagem com gaze.

» Manter as pequenas incisões descobertas

» Normalmente a revisão da ferida e a retirada de pontos ocorrem por volta do décimo quinto dia; o procedimento é realizado pela equipe em consultório ou ambulatório.

38 - Como a embolia pulmonar pode ser evitada?
As pessoas obesas, submetidas à cirurgia, apresentam riscos de complicações como a embolia, que podem ser prevenidos:

» Fazer uso de meias elásticas ou enfaixamento das pernas durante a cirurgia.

» Você deve andar após a sua chegada no quarto, contando com o auxílio da enfermagem e do seu acompanhante.

» Procure deitar no período noturno; aproveite o dia para ficar sentado na poltrona e para passear no corredor. Por isso, deve levar para o hospital roupas confortáveis e chinelos antiderrapantes.Não esqueça de um agasalho no inverno. Cuidado com acidentes e quedas nessa fase de recuperação!

» O seu médico prescreverá medicação anticoagulante injetável, caso julgue necessário.

39 - Sentirei muita fome?
Não. O primeiro reflexo é o de saciedade que ao ser deflagrado acaba com o reflexo da fome. Com a diminuição do estomago a sensação de saciedade é rapidamente induzida e, portanto o paciente não precisa de grandes quantidades de alimento para se sentir satisfeito.

40 - Não posso comer nada nos 30 primeiros dias?
Nos primeiros trinta dias a alimentação deve ser de líquidos coados e peneirados, não se pode ingerir nada sólido ou pastoso, sob risco de comprometer a cirurgia realizada. A alimentação pode conter gelatina, sucos de frutas, leite de soja, mate, sopas, caldos de legumes, caldo de feijão, yogurte dietético e leite batido com frutas.

41 - Quais remédios vou precisar tomar no primeiro mês?
Normalmente antibióticos nos primeiros dez dias, analgésicos, anti-espasmodicos e antiácidos gástricos.

42 - Posso comer doces e gorduras após o 3º mês?
A cirurgia não contra-indica a ingestão de nenhum alimento. No entanto, os alimentos devem ser escolhidos baseados no seu valor nutritivo, devendo-se evitar alimentos hipercalóricos que podem comprometer o resultado do emagrecimento.

43 - E bebidas alcoólicas e refrigerantes, também posso consumir após esse período?
Os refrigerantes devem ser evitados por serem calóricos e sem nenhum valor nutritivo, por isso sugerimos experimentar a riqueza dos sucos de frutas. O excesso de álcool além de ser também hipercalórico pode levar a um quadro de cirrose hepática. Um chopinho em um dia de calor desce muito bem, mas é um só, ok! Os excessos devem ser evitados.

44 - Posso fumar?
O cigarro faz mau independente de ser um operado ou não.

45 - E quanto à relação sexual, pode ser realizada depois de quanto tempo?
Após 30 dias. Depois do 1º mês não há problemas,pode ser feita à vontade, faz bem para a cabeça, para o corpo, para a alma e ainda queima muitas calorias, aproveite!

46 - E as vitaminas?
Estas devem ser tomadas sem interrupção pelo resto da vida nos pacientes que realizaram alguma cirurgia em que houve algum desvio intestinal.

47 - Será que estou perdendo pouco peso?
Esta é uma dúvida que deverá ser tirada com o cirurgião responsável. Normalmente insatisfações estão ligadas mais a ansiedade do paciente do que realmente a pouca perda de peso. Os casos de insucesso estão mais ligados ao mau comportamento do paciente e ao desrespeito das regras combinadas previamente Perdas não podem ser comparadas, deve-se avaliar o percentual de peso perdido em relação ao peso inicial e não ao peso total perdido.

48 - O que é Dumping e o que pode ser feito para evitar?
Existem dois tipos de dumpings, o precoce e o tardio, ambos de causas diferentes, mas com sintomas parecidos. O dumping caracteriza-se por sintomas de desmaio, sudorese, sensação de morte iminente, tonteira e hipotensão. Esses sintomas podem aparecer isolados ou em conjunto e normalmente estão relacionados à ingestão de doces, açucares e carboidrato. Podem aparecer em media 30 minutos após a ingestão desses alimentos e costumam ser precedidos de certa "aura”. Pacientes operados de gastroplastia tipo bypass de Capela tendem a apresentar esses sintomas mais frequentemente e é no nosso entender um fator benéfico na perda de peso, já que pacientes comedores de doce tendem a evitar a ingestão dos mesmos. O dumping depende da quantidade ingerida, ou seja, pequenas quantidades de doces não causam dumping. Para evitar o dumping basta evitar esses alimentos e seguir uma dieta baseada em proteínas, legumes , verduras e carboidratos de fácil digestão.

49 - Quanto tempo demora para a meta de peso ser alcançada?
Isso é muito relativo, pois a perda não se dá de forma uniforme. Existe variáveis como idade, sexo, atividade física e genética que influenciam nesse tempo. Em média os pacientes atingem o peso alvo por volta de dois anos.

50 - Meu cabelo vai cair?
O cabelo cai a partir do 4o mês e normalmente persiste até o 8º. A queda é leve e após esse período o cabelo volta a crescer normalmente.

51 - Ter diarréia / prisão de ventre é normal?
Não é normal. Alterações do ritmo intestinal estão relacionadas à má alimentação e não a cirurgia. São fundamentais as consultas periódicas com a nutricionista para evitar tal alteração.

52 - Quanto tempo após a Cirurgia Bariátrica deve voltar a praticar atividades físicas?
O mais breve possível. Na primeira etapa, pós-cirurgia, as atividades devem ser monitoradas pelo Fisioterapeuta pelo menos por 30 dias, já que estas às vezes começam ainda no hospital. Caminhadas progressivas e exercícios específicos são orientados caso a caso. Normalmente após 40 dias já se pode realizar a maioria das atividades, salvo restrições médicas. É importante definir os objetivos de cada paciente, suas expectativas em relação ao peso desejado, definindo estratégias para elaborar um programa em relação aos tipos de atividades, intensidade, periodicidade e duração, de acordo com as possibilidades de cada um.

53 - Após a cirurgia, quais as atividades mais recomendadas e com qual freqüência devo realizá-las?
Tudo começa pelo primeiro passo, da caminhada. Progressivamente aumentando, tanto o volume (tempo) quanto a intensidade (velocidade), a caminhada dá base para as demais atividades. Ainda mais que a maioria dos recém-operados não vem de uma rotina muito ativa e muitos ainda não usufruem de um sistema cardiovascular e pulmonar privilegiados por tais práticas. Mas nem só de caminhada se beneficia o organismo humano. Exercícios coordenados, aeróbios ou não, são fundamentais na composição do programa de treinamento físico, de acordo com os objetivos e condições físicas de cada paciente. A qualidade do emagrecimento está pautada na nutrição e nas atividades físicas, pois são os dois itens que amplamente norteiam a perda de peso. Atividades aquáticas, como hidroginástica e condicionamento físico, também na água, podem trazer excelentes resultados, tanto na diminuição do peso quanto na qualidade do emagrecimento. De três a cinco vezes por semana. Isto é suficiente não só para continuar emagrecendo, mas também para se manter saudável sempre.

54 - Onde devo realizar tais atividades físicas ?
As opções são várias, porém devemos levar em consideração que a Cirurgia Bariátrica é um procedimento especial, com características próprias. Profissionais com conhecimento do tema, principalmente nas repercussões físicas da cirurgia, bem como da evolução que se segue, devem orientar as atividades para maior segurança e melhor aproveitamento do programa, que pode ser realizado tanto em centros apropriados, como academias e/ou clubes, quanto em ambientes abertos como parques naturais, respeitando sempre as características e limites individuais.

55 - Após realizar a Cirurgia Bariátrica, até quando devo continuar com o programa de atividades físicas?
Para sempre! Mesmo que você adquiriu o corpo dos seus sonhos, a manutenção demanda disciplina e tem que ser permanente. Manter-se ativo fisicamente é condição essencial para qualquer pessoa melhorar sua qualidade de vida em relação à saúde, independentemente de ter sido submetido à Cirurgia Bariátrica. Especificamente neste caso, deve-se levar em consideração que nenhum paciente está imune ao aumento do peso. Manter-se engajado num programa de atividades físicas, vai contribuir decisivamente não só na manutenção do peso, como também para uma vida mais saudável.

56 - É possível engravidar quanto tempo depois da cirurgia?
É possível sim e não ha nenhuma contra-indicação. Normalmente solicitamos que não se engravide antes de dois anos de operação.

57 - Quais os métodos anticoncepcionais podem ser usados no pós?
O melhor método é o DIU. Deve-se evitar anticoncepcionais orais.

58 - Por que algumas pessoas voltam a engordar?
Nenhuma cirurgia é uma mágica. Entendemos que a cirurgia é uma ferramenta que deve ser respeitada nas suas limitações. A cirurgia é uma ajuda muito poderosa na perda de peso, porém, no entanto os pacientes devem se comprometer em seguir as determinações que se fazem necessárias. Não podemos esquecer que a cirurgia não cura a obesidade e sim a controla. Por isso frisamos que o compromisso com o acompanhamento multidisciplinar é fundamental. O reganho de peso é da ordem de 6%, sendo que desse universo 70% não seguiram as orientações da equipe.

59 - Quando se devem fazer as Cirurgias Plásticas após a Cirurgia Bariátrica?
As Cirurgias Plásticas devem ser feitas quando o objetivo da perda de peso estipulada pelo seu Cirurgião Bariátrico for atingido ou quando ocorreu a estabilização do peso. Ainda assim, o Cirurgião Plástico deve selecionar os pacientes que estejam com IMC abaixo de 30; acima de 30, somente se houverem razões fortes. A estabilização do peso ocorre geralmente entre 01 e 02 anos após a Cirurgia Bariátrica. Alguns casos podem necessitar de Cirurgia Plástica muito antes da estabilização, quando a sobra de pele e excesso gorduroso prejudica em muito a sua locomoção.

60 - Quais as cirurgias Plásticas mais realizadas após o emagrecimento acentuado?
Mamas, abdome, braços, coxas e face.

61 - Qual é a melhor ordem a ser seguida?
Para a maioria dos Cirurgiões Plásticos que esta habituada a fazer esse tipo de Cirurgia Plástica, o abdômen deve ser a primeira cirurgia. A seguir, mamas, braços, coxas e face. Às vezes a ordem pode ser mudada de acordo com a vontade do paciente, desde que não contrarie frontalmente a lógica.

62 - Podem ser realizadas mais de 01 cirurgia por vez?
As cirurgias associadas (por ex: mamas + abdome ou braços + coxas, etc.) devem ser feitas por um cirurgião muito experiente e, mesmo assim, não é regra geral, ele poderá optar por cirurgias isoladas para maior segurança.

63 - As cicatrizes são de boa qualidade?
Sim. Em geral são de boa qualidade, mas como o contorno corporal a ser atingido com as Cirurgias Plásticas depende muitas vezes de tensões maiores, poderemos ter em alguns pontos, cicatrizes hipertróficas (alargadas), que poderão ser retocadas na etapa seguinte. Cirurgiões Plásticos experientes conseguem um bom contorno corporal e cicatrizes (mesmo que alarguem um pouco) que não significam nem 10% do problema apresentado (flacidez e lipodistrofia).

64 - Qual o risco da Cirurgia Plástica após a Cirurgia Bariátrica?
O risco de complicação grave é mínimo, pois os pacientes estão muito bem preparados (já vêm bem preparados pela equipe multidisciplinar ligada a Cirurgia Bariátrica), e os cuidados com o pré operatório imediato e intra-operatório se somam para dar segurança à Cirurgia Plástica. A anestesia feita por profissionais competentes habituados a atuar nas gastroplastias, os aparelhos modernos e drogas de última geração, nos dão a certeza de que devemos nos preocupar apenas com a cirurgia, sendo nossa dedicação muito maior naquilo que mais nos interessa.

65 - Como é o pós-operatório?
Para cada problema e resolução cirúrgica, um determinado pós-operatório. De uma maneira geral a primeira semana é a mais importante, pois poderemos evitar hemorragias, infecções, necroses e edemas, simplesmente com um repouso relativo e curativos adequados. Alguns cirurgiões não fazem uso de drenos, outros usam pequenos drenos (penrose) que são retirados 24 a 48 horas após a cirurgia, e ainda existem cirurgiões plásticos que preferem deixar drenos por 07 a 10 dias, principalmente após abdominoplastias. Após a primeira semana tudo é mais fácil, mesmo assim o repouso ainda é importante para evitar a formação de seroma abundante (liquido formado por extravasamento linfático e tecido gorduroso liquefeito). O seroma detectado deve ser puncionado e assim não acarretara problemas. Após 01 mês há a liberação para caminhadas, dirigir, trabalhar (depende do trabalho), para alguns exercícios físicos e até para relações sexuais desde que sejam bem orientados. Até os 03 meses recomendamos o uso de cintas e faixas, pois o alargamento de cicatrizes ainda pode ocorrer. Protetores solares de 50 para cima devem ser utilizados sob os biquínis, sungas, camisetas, até o clareamento das cicatrizes que ocorre geralmente por volta dos 06 meses.


IFV nas redes sociais:

     
Copyright © Todos os direitos reservados ao Instituto de Cirurgia do Aparelho Digestivo e da Obesidade | Desenvolvido por 3dweb.com.br